Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Leitura de Abril

julmar, 19.04.16

Cada livro que lemos é  é uma viagem fazemos ao mundo dos outros e ao nosso próprio mundo. Este livro leva-nos numa intensa viagem ao infinitamente grande e ao infinitamente pequeno que os dois se ligam ao nosso mundo que é o mundo das nossas percepções, dos nossos conceitos e das nossas emoções. O 'conhece-te a ti mesmo' socrático adquire uma nova dimensão que não passa apenas pelo examinar-se a si mesmo mas que, hoje, exige o contributo do conhecimento científico que nos traz luz à questão ' o que é o homem'. Não entenderemos o homem se não entendermos ccomo aqui chegou e, por isso, se torna imprescindível o contributo de todas as ciências. Das  ditas ciências naturais: da Física, da Química, da Biologia, da Astronomia. da Etologia ... E mais uma vez, chegamos à conclusão que o homem descendeu dos céus e que foi a olhar para os céus que o homem descobriu a terra e nela se descobriu a si. 

É tempo de o homem se libertar de explicações míticas e religiosas, de dogmas e de preconceitos. E não é fácil porque o nosso cérebro odeia mudar de ideias, custa tanto mudar de crenças que há quem morra por elas. Assim, diz-nos o autor que tem de haver uma pedagogia da desaprendizagem. Para tanto temos de aprender como lidar com o nosso cérebro e essa é uma aprendizagem que, hoje, está ao nosso alcance.

 Com o autor descobriremos que «o cérebro está preparado, embora não lhe agrade, para mudar de opinião; que construímos o futuro em torno do passado; que nem todos os sistemas irracionais da mente são válidos; que estamos programados mentalmente para sermos únicos e que nisso reside, talvez, a explicação para a capacidade infinita dos seres humanos para serem felizes».