Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Efeitos colaterais da pimenta

Avatar do autor julmar, 14.02.21

allegro.jpg

Por vezes, dou comigo a pensar nos livros que li, uns por obrigação outros por escolha. Alguns sei onde estão e vou direto a eles, outros pela sua (in)utilidade, pelo seu volume, perco-lhes o lugar. Allegro ma non tropo é inesquecível e, pequeno que é, foi de uma assentada. O opúsculo é a prova provada de que matérias pesadas podem ser tratadas com leveza. Toda a realidade comporta uma face trágica e uma face cómica e, por tendência natural o espírito humano tende para a tragédia, sendo que o poder, e os delegados do poder, nomeadamente padres e professores, têm horror à comédia. Umberto Eco em O Nome da Rosa, conta-nos como isso é. Todos os ditadores detestam a ironia e, até, o humor, embora adorem a anedota - esse humorismo tosco, simplório e ordinário. Recomenda o autor que: "sempre que se apresente a ocasião de praticar o humorismo, é um dever social evitar que tal ocasião seja perdida." É assim este ensaio que, em parte, nos fala das cruzadas. 

"Quase todos os cruzados eram analfabrtos, mas conheciam os provérbios. Nasceu, assim, naquele contexto socio-cultural, a ideia do cinto de castidade: um após outro, os cruzados, antes de partirem, pensaram precaver-se contr brincadeiras de mau gosto, mandando encerrar a própria mulher no incómodo (para a mulher) mas seguro (para o marido) cinto de castidade. Foram tempos dourados para os ferreiros e a metalurgia europeia entrou em fase de expansão. Este foi apenas o primeiro de uma série de acontecimentos espectaculares".