Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

As portas que Abril abriu

julmar, 25.04.16

VC Lomba 75.jpg

 Nem água, nem luz, nem saneamento, nem estrada. Este era o retrato de muitas aldeias de Portugal. Da minha aldeia natal também. 

Comecei a dar aulas de Português (na Escola Técnica) e História (no Liceu) em outubro de 1973. 

24 de Abril de 1974, deitei-me passava da meia noite, ouvi a canção "E Depois do Adeus" de Paulo de Carvalho ... e gostei de ouvir. 

A partir do dia seguinte  tudo era diferente e como no poema de Vinicius de Morais o "operário em construção", também eu cresci:

Cresceu em alto e profundo 
Em largo e no coração 
E como tudo que cresce 
Ele não cresceu em vão 

Farto e refarto da bolororenta escolástica, leio e discuto textos de Marx, de Mao e, claro de W. Reich. E porque a revolução era levada a sério, havia era que meter as mãos na massa dando cumprimento ao pensamento de Marx:

Até hoje os filósofos interpretaram o mundo de diversas maneiras; ora, o importante é transformá-lo 

E lá estou eu, em tempo de férias, em campanha de alfabetização com os mais velhos e em atividades com estas crianças.

Muita inocência, muita ingenuidade mas não trocaria estes tempos por nada.