Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Votos para o ano lectivo que agora começou

julmar, 18.09.08

Porque me identifico com os votos formulados, dada a exiguidade de tempo, aqui ficam os votos do «Terrear», um blog que vale a pena acompanhar 

 
Mais um ano lectivo começa. Tempo para renovar os sonhos, as vontades, a determinação, a exigência e a esperança. Inicio um pequeno ciclo de votos para este tempo, no pressuposto de que o futuro não está escrito e de que nós, nos diferentes contextos da acção social e profissional, podemos participar na sua construção, tendo em conta, obviamente, o peso das estruturas.

Assim, começo por referir cinco votos:

1. Votos de aprendizagens pertinentes, relevantes, significativas quer para alunos, quer para professores. Sem aprendizagens a vida será sombria. Aprender a ver, a conviver, a comunicar, a desmascarar as astúcias dos igualitarismos formalistas que têm larga tradição entre nós.

2. Votos de uma avaliação profissional não obsessivo-compulsiva e que esteja ao serviço do essencial: melhorar as práticas de ensino e de aprendizagem. Para que isto aconteça é necessária muita lucidez, que o ME abdique das soluções tecnicamente impossíveis, que as escolas não sejam mais papistas que o Papa, simplificar e flexibilizar um sistema excessivamente rígido, estandardizado e burocrático.

3. Votos de uma efectiva promoção de uma igualdade de oportunidades, não apenas de acesso à educação, mas de sucesso educativo (ainda que conjugado de forma plural). Isto supõe abdicar do mito que fundou a escola que temos de ensinar a todos como se todos fossem um só e praticar pedagogias e soluções organizacionais diferenciadas (sobretudo para os mais fragéis e necessitados).

4. Votos de uma afirmação e de uma credibilização social dos professores, que só se conseguirá se conseguirmos criar uma imagem (e uma prática) de autonomia, de responsabilidade e exigência profissional no serviço público que prestamos.

5. Votos de uma maior justiça e equidade na organização e funcionamento do sistema educativo.

Lendo Pico de la Mirandola

julmar, 01.09.08

"Não te dei, ó Adão, nem rosto, nem um lugar que te seja próprio,

nem qualquer dom particular, para que teu rosto, teu lugar e teus

dons, os desejes, os conquistes e sejas tu mesmo a possui-los.

Encerra a natureza outras espécies em leis por mim estabelecidas.

Mas tu, que não conheces qualquer limite, só mercê do teu arbítrio,

em cujas mãos te coloquei, te defines a ti próprio. Coloquei-te no

centro do mundo, para que melhor possas contemplar o que o mundo

contém. Não te fiz nem celeste nem terrestre, nem mortal nem

imortal, para que tu, livremente, tal como um bom pintor ou um hábil

escultor, dês acabamento à forma que te é própria".

(Pico de la Mirandola).