Terça-feira, 10 de Julho de 2012

Relvas, O Sumo Pontífice, In Tratado da Bajulação - Amora da Silva

«O homem que se vende recebe sempre mais do que o que vale», de autor desconhecido

O jeito faz dos jeitosos um modo de ser, de estar, de fazer e de dizer que, não é defeito, é feitio indutor de tão grandes e maravilhosos eventos que os torna em entes admiráveis e paradigmáticos, sendo os mais notáveis arquétipos em que os pequenos jeitosos devem colocar os olhos se querem tornar-se ilustres jeitosos.
Perde-se esta cultura nos longínquos da nossa história. De algum modo, senão é congénita, com a sua força ter-se-á definitivamente inscrito no seu código genético. Assim, nasce-se com jeito para isto ou para aquilo, assim como uma espécie de vocação ou fatalidade. Por vezes, aparecem alguns tão destituídos que "não têm jeito para nada". Se fossemos de carácter tão incompassivo como o filho de Deus diríamos de tais espécimes que 'melhor seria não terem nascido', pelo menos nesta pátria onde quem tem um olho é rei. Ou poeta.
em grau tão elevado que conseguem atingir o que querem sem estudo, sem trabalho, pendurando-se aqui, encavalitando-se acolá, como cucos aproveitando-se do ninho dos outros, apanhando boleias dos distraídos.
Estes jeitosos tornam-se mestres na arte do jeito que lhes fica colado ao corpo e lhes talha a alma. Nos seus vários estilos sabem como pôr graxa, como puxar o brilho; mais do que de estratégia, vivem do estratagema; mais que de arte, vivem da artimanha;
Peritos na escolha do tipo de graxa e do modo de usar, lambem botas, serpenteiam ou rastejam para chegar ao pretendido. Desde pequenos que a sua brincadeira preferida é andar às cavalitas.
A sua cultura assenta na velha sabedoria dos provérbios populares, dos quais fazem uma cuidadosa seleção e que constitui o seu argumentário inexpugnável. Cultores da palavrinhas mansas, da palavrinha a sós, das palmadinhas nas costas, movem-se em salamaleques, vénias e mesuras. Entre eles disputam influências, favores, conezias e prebendas sempre com jeito, de uma forma redonda que é a sua geometria de eleição.
A política é o seu habitat natural porque os dispensa de viver do suor do seu rosto. São preguiçosos e indolentes, têm como regra a lei do menor esforço, mesmo que se traduza em asneira máxima. Basta-lhes sempre ter uma ideia geral sobre os assuntos para o que é suficiente a “conversa de café” ou equivalente. Isso não significa que não sejam especialistas nalgumas áreas, onde mais do que o saber lhes interessa a prática. Por exemplo são exímios culambistas ainda que a maior parte desconheça o significado.

O nosso Relvas, por exemplo, é um bom exemplo de que a teoria, o estudo é uma grande treta ou uma grande seca. Porque raio é que se há-de estar a estudar teorias se o que interessa á a prática?

E têm um gosto especial nas apresentações, nos cartões de recomendação … «diga-lhe que vai da parte do senhor engenheiro...» E tendo falado uma vez passam logo a ser amigos e, se extrovertidos, de piada brejeira fácil e com vocabulário atrevido passam à categoria de amigalhaços. E tratam por filho da puta todo o que não entrar no seu jogo de influências ou, de algum modo, perturbe a sua forma de ajeitar-se.

São dados ao sentimento, à compaixão, à piedade – traduzidas em diminutivos caritativos: dar uma mãozinha, um empurrãozinho, uma palavrinha quando as coisas correm a jeito; e à ira ruborizada no rosto quando algum filho da puta armou em sério e estraga o arranjinho.

Quanto ao olhar são congenitamente incapazes de olhar de frente – tudo o que é reto lhes é adverso, preferem o curvilíneo, os atalhos e as veredas aos caminhos.

Isto é que são de uma raça!

publicado por julmar às 18:10
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Andar passo a passo, pela...

. Camões em Vilar Maior

. Andar, passo a passo. Ao ...

. Leituras - Tríptico da Sa...

. Entender a Alemanha para ...

. Vanitas vanitatum

. Ler os melhores

. Passo a passo até Lahore

. Luz e sombra

. Mãe

.arquivos

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds