Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

Badameco

As anotações de Júlio Marques.

O mar - Isabel Teixeira

julmar, 10.04.12
O mar, sempre o mar no meu pensamento, na minha vida, na minha alma, no meu inconsciente…
O mar verde, a espuma branca das ondas a suavizar na areia da praia ou a bater fortemente sobre as rochas.
As algas, toda a espécie de peixes, a beleza, a acalmia, a malvadez, os ventos, os gritos, as lágrimas…
As palavras sussurradas num fim de tarde à beira mar, as crianças livres, felizes a brincar. Os olhos esbugalhados pela beleza e imensidão de quem nunca o viu.
O vento, o sol e os salpicos a bater no rosto de alguém ou algum que, de repente, perdeu a vontade de viver. Acredito piamente que alguém, sem sentido de vida, tenha vontade de entrar mar adentro. Porque ele é lindo, misterioso, belo, horrível, ele é o Mar por quem tão nova me apaixonei. E é uma paixão alimentada, porque lhe posso falar, tocar e ele retribui essa paixão deixando que lhe toque, que lhe fale e que me salgue.
Ciúme e inveja, tenho das gaivotas que lhe fazem voos rasantes, dos peixes que lá habitam e têm o gosto de desfrutar de tudo o que gosto, de tudo o que amo. Belo, Maravilhoso, Imenso, Horrível e Medonho como qualquer Paixão.