Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2016

Chegou a factura

Mais uma coisa inútil trazida de cadernos onde se faziam anotações e textos sem tom nem som, para resistir à inutilidades, vulgaridades, banalidades e conversas da treta de gente ministerial que explicava medidas educativas e paradigmas que haviam de trazer o sucesso aos alunos, o bem estar aos professores e a riqueza à nação.

Podemos dizer que a escola mudou. Podemos dizer que a escola não mudou. Para uma e outra proposição se podem arranjar razões válidas. A escola mudou pelas boas intenções dos políticos que quiseram tornar a educação universal e obrigatória. Primeiro a terceira classe, depois a quarta classe, depois o 6º ano; depois 15 anos (nono ano, se possível); finalmente 18 anos ( 12º ano, se possível). A ideia subjacente é a de que os cidadãos educados e instruídos serão melhores cidadãos e que a desigualdade social e económica se dissipará, numa igualdade de oportunidades assim oferecida. Bem cedo se verificou que a igualdade de  oportunidade de acesso não se traduzia numa oportunidade de sucesso. Bem cedo se verificou que para o conseguir eram necessárias medidas de apoio que cedo se verificou resultarem em nada; procurou-se simplificar os curriculos, acabar com exames (introduzir a avaliação contínua, privilegiar os processos, o esforço em vez dos resultados, introduzir escalas curtas onde as diferenças se esbatessem, diminuir o grau de exigência, aumentar os apoios pedagógicos acrescidos, estabelecer planos de recuperacão, delinear territórios educativos de intervenção prioritária com equipas multidisciplinares; à medida que os alunos iam aprendendo cada vez menos, iam-se comportando cada vez pior e na mesma medida os professores desistiam cada vez mais de ensinar para cada vez mais os tentar fazer aceitar regras e disciplina. Ate que se chegou a uma descoberta muito importante: os meninos portam-se mal, não sabem como estudar e é necessário que aprendam não porque os professores ensinam mas porque imaginativa e cooperativamente são capazes de construir o próprio saber e daí a legislar em conformidade foi um breve passo. E sai a trindade que milagrosamente há-de resolver, de uma assanhada, o problema dos insucedidos e dos indisciplinados: Educação Cívica, Estudo Acompanhado e Área de Projecto. E começou a proclamar-se "se não conseguimos tirá-los da ingorância, conseguiremos torná-los em obedientes cidadãos". E qualquer professor ainda que incompetente para atingir os objectivos na matéria da sua especialidade com os alunos, era considerado competente para os atingir na matèria para que nunca havia sido ensinado, no pressuposto de que na  universidade da vida e onde se treinam a cidadania, a estratégia e a criatividade. Mesmo que, na prática, se não cumpra o dever, se ignore o método científico e o projecto não ultrapassa o jogo do fim de semana. E sempre na conveniência da confeccional alfaiataria dos horários
e de que se se é professor se tem, por inerência, competência nas referidas áreas.
Parece elementar que o professor de cada matéria escolar ao ensiná-lá de maneira explícita ou não conduza o aluno ao método adequado da sua apreensão e domínio. Como poderei ensinar filosofia sem ao fazê-ló mostrar como se estuda? Como se pode separar o método e as técnicas de estudo sem ser a estudar alguma coisa? Como ensinar o caminho sem definição de aonde se quer chegar?
De igual modo a Formação Cívica. Há coisas que se aprendem mas não se ensinam formalmente. Não se ensinam em sala de aula.

publicado por julmar às 17:34
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Leituras de menino - O l...

. Leitura a não perder

. A Vila - vista noturna

. A Coruja de Minerva

. Andar - Cálculos

. A sombra do viajante

. Migalhas filosóficas

. Obrigado pelo atraso

. Leituras breves

. Poemas da minha vida

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds